Fé cega e faca amolada!

Ô tempore Ô mores

A Web salvou o homem! Cada vez fico mais com esta certeza!

Tenho que o problema de acúmulo de processos judiciais, inicialmente os repetitivos, será resolvido por um mero, bobo, programa de algoritmos. E que, no futuro próximo, a maioria dos problemas que geram ações judiciais serão resolvidos com simples análise robótica dos dados que envolvem a questão.

Mas, porque falo sobre isto? Por conta desta minha postagem, Juíza do Trabalho está abalada! … a própria, a Paula, a juíza, veio aqui, no blog, e comentou a postagem.

A Paula foi democrática, republicana e bacana. Veio aqui e deu seus argumentos, disse de seus sentimentos e aflições pelos quais passa do outro lado do balcão.

Este papo, esta forma de tabaquear um assunto, unindo, no mesmo espaço, duas pessoas, dois argumentos, ou várias pessoas e vários argumentos, e de agentes que mal se conhecem, ou nem se conhecem, era inimaginável há pouco tempo, bem pouco tempo!

E quando ganhei meu primeiro Atari, em 1980 e comecei a mexer em um TK 85, em 1985, nunca imaginei que isto ocorreria. Eu acho fantástico!

Mas, o que disse a Paula:

Olá! Cristo bem disse: Não julgueis, não julgueis…

Segundo notícias publicadas na imprensa, no dia da transferência das audiências, a OAB nacional disse que vai pedir ao CNJ que obrigue os Tribunais a manter o endereço do magistrados no site para conhecimento público.

Imaginem-se Juiz(a) que trabalha ao longo de 15 anos até altas horas da madrugada, nos finais de semana, nas férias, mais de 12 horas por dia para dizer em processos que a carga horária humana de trabalho é de 44 horas semanais, que inúmeras vezes deixou em casa suas filhas doentes para ir ao trabalho cumprir com seus deveres e obrigações´, que sente-se em ´débito com sua família em razão de sua ausência para tentar amenizar os problemas sociais com jornada de trabalho além do limite do razoável tendo que ler a notícia de que seu endereço (onde reside com sua família) vai ficar exposto para todos inclusive para aqueles que possam não concordar com suas decisões… Uma coisa é ter o juiz “em mira”, outra é ter sua família. A quem pode interessar a exposição do endereço da família de juízes que julgam ações envovlendo situações críticas?

Alguém neste País desconhece o estado de insegurança para todos? É isso que o Brasil quer? Fragilizar o magistrado pela exposição de sua família?

Antes de apontar um dedo para a magistrada lembrem-se que três aponta para os seus julgadores com a dizer: se eu estivesse diante da possível ameaça descabida de minha família faria diferente ou daria um tempo de horas para restabelecer o equilíbrio emocional? O que estou fazendo para que os magistrados sintam-se seguros para proferir suas decisões com equilíbro e justiça? Enfim, no meu lugar, como fazer diferente diante da ameaça à minha família?

P.S. Não saí correndo da Justiça, como injuriosamente afirma o email recebido. Trabalhei naquele dia até por volta de 18h00 e estou neste momento de domingo em casa fazendo sentenças e deixo claro que mesmo diante de possíveis ameaças à minha família, vou continuar a julgar conforme o compromisso assumido perante a Constituição Federal e à sociedade.

Paula, não sabia dessa de a OAB Federal solicitando ao CNJ que seja disponibilizado endereço particular de Juiz em site. Será verdade? Você tem certeza? Não é um “ouvi dizer” que lhe chegou como se fosse verdade? Se for verdade, é um absurdo. Faço idéia o juiz de uma vara agrária do interior do Pará, ou um juiz federal de vara criminal especializada em narcotrráfico tendo seu endereço residencial, ou domiciliar, divulgado!

Claro, não quer, com isto, dizer que um mau intencionado não consiga o endereço de um juiz, mas, que desnuda o cidadão, não tenho dúvidas.

Deve ter, e tem no site do TRT da 8ª Região, pauta, nome do Juiz-Titular, do Diretor da Secretaria e demais dados (alguns, lá, é verdade, eternamente “em construção” – outra falha é a falta de composição das Turmas!). Mas, endereço particular? Já não basta o dr. Google para nos invadir até a alma?

Como disse, sensibilidade é só pra quem tem, e a Paula disse aqui de onde veio a sua, para este caso em comento. Para mim, ela esclareceu, pois, genericamente ficar abalada devido a ataques da OAB, não era justificável (claro, na medidade da minha sensibilidade).

Mas, Paula, quando dizes, “Cristo bem disse: Não julgueis, não julgueis…”, entendo que estás a dizer: “Calma, não conclua logo, espere outros dados”. Tens razão, se bem que conheces, muito bem, que, as vezes, uma inaudita é possível.

Também é possível o que, eufemisticamente, nós advogados, gostamos de colocar na petição quando o juiz dá uma rateada: “Vossa Excelência foi induzida ao erro!”. Acho que foi o meu caso, com ou sem o eufemismo. 😉

Sabemos que uma Certidão tem fé: é tal da Fé Pública.

Está fé vem lá da tradição da Santa Justiça, ou da Justiça Santa. É fé, e com fé eu fui pois a fé não costuma a falhar, diria o Gil.

A Certidão, do processo trabalhista, conforme o link indicado diz: “Em face das condições emocionais da magistrada devido aos recentes ataques da OAB a audiência designada para a data de hoje não será realizada.”.

Temos que convir que, pegando “…recentes ataques da OAB…” e que o TQQ é “a notícia” sobre o assunto, nunca na história, por Zeus, poderia imaginar – eu e a galera que acompanha o Círio – que teu abalo seria sobre a possibilidade de ser divulgado teu endereço particular no site do Regional. Até porque, até teu comentário, não sabia nem que tal proposta existia!

Daí ter falado que você pode até ter sensibilidade à flor da pele, mas que entendia o abalo não ser justificável, pois o TQQ se refere à Justiça Comum, à Cível. Aliás, neste assunto, o que sempre falo é que a Justiça do Trabalho deveria ser era exemplo. Claro, com as ovelhas negras, que tem em qualquer área em que o homem já pisou.

Fui induzido ao erro! E pela fé pública, a fé cega e faca amolada! 🙂 🙂 🙂

Será que, o que está acarretando o quiprocó entre a OAB e os Magistrados, e vice-versa, é a generalização? Deveria a OAB, as Associações, Corregedorias, etc., dar nome aos bois? Que tal?

Bem, bem, bem… pra mim, o que interessa é argumentar, debater, sempre visando a melhoria, combatendo a estagnação das instituições, perseguir o bem estar da população.

A Paula veio aqui e disse: qualquer possibilidade de risco à minha família me tira do sério, abala-me!

E eu digo: Então a tal da Certidão Judicial está errada, ou melhor e mais, está omissa, incompleta! E digo mais, digo sempre, a Justiça do Trabalho, salvo as exceções, é exemplo a ser seguido (na estrutura, principalmente).

Tenho alguns juízes, cíveis ou trabalhistas, os que conheço mais de perto, como pessoas sérias no cargo – alguns até demais. Aliás, conheço uma juíza do trabalho que desdenha da própria saúde em prol de seus processos para julgar.

Eles são completamente apaixonados pelo que fazem. Lutam por melhores condições de trabalho. Sinceramente, não sei dizer se são “regra ou exceção”. Quero crer, assim como na advocacia, que é caso de regra.

E mais, se, depois destas pressões institucionais, de ambas e de todas as partes, o resultado não for positivo, os erros corrigidos e os acertos replicados… e só sobrarem mágoas… aí, sim, vai ser lamentável, aí sim!

Anúncios

Sobre Lafayette

Xipaia... o último dos guerreiros!
Esse post foi publicado em Está na Lei. Bookmark o link permanente.

4 respostas para Fé cega e faca amolada!

  1. Antonio Moreira disse:

    Para descontrair e aliviar o estresse, especialmente para as juízas do trabalho que estão abaladas pela atuação da OAB, a associação dos magistrados trabalhistas vai promover uma série de eventos em comemoração ao DIA DA MULHER.
    O que mais me chamou atenção é que vão promover na sexta-feira (19/03/2010) um Curso sobre maquiagem às 14:00h na sede da Amatra VIII e uma felizarda pode caba em sorteio um maravilhoso kit de maquiagem.
    Vão ainda na sexta-feira (12/03/2010) promover um Lanche comemorativo às 14:00h na sede da Amatra VIII e na segunda-feira (29/03/2010) uma Festa de Confraternização em homenagem às Mulheres, a partir das 19:00h, no Hotel Beira Rio.
    É pra rir ou é pra chorar!!!!!!!!!!!!!

    http://www.amatra8.org.br/v2.0/?action=Destaque.show&id=416

  2. Anonimo disse:

    http://www.orm.com.br/projetos/oliberal/interna/default.asp?modulo=250&codigo=459368

    Aí está o link, em site d’O Liberal, que confirma o motivo do abalo da Dra. Paula Soares.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s